Partilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

Combater o desperdício alimentar a partir da nossa cozinha

Em Portugal, estima-se que 1 milhão de toneladas de alimentos comestíveis são deitados fora todos os anos. Estes resíduos ocorrem em todas as fases da cadeia alimentar (desde o campo até ao prato, passando pelo processamento, armazenamento, transporte e distribuição dos alimentos). Mesmo que a maioria dos resíduos alimentares seja facilmente compostável, o objectivo principal é ser consumido.

Existem formas simples de reduzir o desperdício alimentar e a Zero Plástico oferece-lhe alguns conselhos:

Gerir as compras e os resíduos

Para evitar o desperdício alimentar é importante reduzir o consumo ao que é necessário. Ou seja, adaptar a quantidade de alimentos comprados às necessidades reais. Reduzindo ao mesmo tempo o consumo de produtos preparados e, portanto, embalados em excesso de plástico é a regra principal. Uma forma de saber o que comprar é fazer ementas semanais e analisar a despensa antes de ir às compras.

Como armazenar corretamente a comida

Uma das regras básicas é comer primeiro os alimentos mais perecíveis ou que estão próximos de atingir a data de validade.

Alguns dos nossos hábitos devem ser corrigidos! Por exemplo, fruta e legumes nem sempre devem ir para o frigorífico. Colocar os tomates ou os pêssegos no frigorífico pode não ser a melhor forma de conservação das suas propriedades organoléticas. Se as bananas estiverem muito maduras não convém junta-las com maças. Quanto ao pão, se tiver muito o ideal é congelar nas porções que vai consumir para que não fique seco ou duro.

Usar a tecnologia para diminuir o desperdício alimentar

Hoje em dia, existem muitas associações e aplicações que combatem efetivamente o desperdício alimentar.

Há aplicações que facilitam a comunicação entre frutarias, padarias, restaurante e o consumidor. Aqui são disponibilizados alimentos em boas condições mas que iriam para o lixo. Como a Too Good To Go. Há também associações de consumidores, como a Fruta Feia, em que os associados recebem caixas de frutas e vegetais que não podem ser vendidos em superfícies comerciais por causa do seu aspecto e tamanho. E podemos sempre usar os motores de busca para pesquisar receitas e usar aqueles alimentos que temos em excesso ou estão a precisar de ser comidos.

Deixe uma resposta

Mais artigos